terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Ao apagar das luzes de 2018


E assim fechou o 2018 do Coral Avareté 
regido por Joaquim Assis: afinadamente, 
em harmonia, 
prezando a Natureza 
e aqueles que gostam dela e da Arte.
Belo convite dos amigos do Parque do Martelo! 

quinta-feira, 25 de outubro de 2018



Duaia Assumpção no solo 4 - Peça de Câmara para 1 Atriz e 4 Personagens. Foto de Claudia Ribeiro, Visagismo de Joana Seibel e Luz de Mônica Diniz no Teatro Rogério Cardoso

Em  "4 - Peça de Câmara para 1 Atriz e 4 Personagens", 
há uma cena a que não assistimos: o Homem bate na Mulher.
Sabemos disso por referências dos dois e da Garota, filha deles, 
e também há referências da Velha, mãe do Homem e sogra da Mulher.
Os mais atentos percebem que depois deste dia, 
o Homem some de casa e não dá mais notícia.
Percebem também que ele é alcoólico e ciumento. Isso, ele mesmo declara. 
Sim, porque depois de 4 anos ele volta. Pressente que a mãe vai morrer. 
Procura a Mulher (que é professora mal remunerada e completa o orçamento com bicos), 
para saber o que ela acha dele ver a Velha. 
Nesse momento, revela à Mulher que vai fazer 2 anos que não está bebendo.
Os mais atentos vão juntando as peças 
e percebem que naquele dia, com a violência que cometeu, 
ele ultrapassou seu próprio limite. 
E chocado consigo mesmo, se afastou.
Não sabemos detalhes de sua vida nos primeiros dois anos. 
Apenas que está lutando cotidianamente para superar sua compulsão 
e que recentemente arranjou emprego. 
Enquanto há tempo, quer pedir desculpas à Velha, sua mãe, 
pelo abandono e pela vergonha que causou.
E não tenta fazer o mesmo com a Mulher e a Garota sua filha, 
porque ele mesmo não se perdoa pelo que fez. Mas ainda as ama. 
Até onde isso pode levá-los?
Na Arte é possível sonhar, arriscar, 
acreditar e tornar possível até o impossível. 
Cabe acreditar que o ser pode melhorar, 
superar barreiras, porque pode mesmo.
Na Vida também se pode ser melhor, 
em um esforço pessoal cotidiano de superação, 
equilíbrio, respeito, fraternidade.
Na ficção, o Homem da peça se afastou porque 
reconheceu que tinha problemas e que estes 
o tinham tornado um ser perigoso para aqueles a quem amava.
Na Vida, muitos homens não se dão conta disso. 
Por fraqueza, doença, ignorância, ou até mesmo por sadismo, 
alimentam um círculo vicioso de violência-arrependimento-carinho 
 para repetir com mais violência a cada vez este ciclo, a que se somam ameaças. 
Muitas mulheres fazem parte desse círculo 
por medo, outras por esperança, outras por resignação, 
baixa autoestima, outras por vergonha ou culpa.
Na ficção, a peça se passa no fim do século XX, 
quando a proteção à Mulher engatinhava. 
Hoje, existe a triste figura do feminicídio que nomeia 
a que ponto pode chegar o descontrole, e com todos os percalços, 
existem os núcleos de apoio à Mulher, uma mudança de compreensão do problema.
Essa mudança só foi possível porque estamos em um regime democrático, 
onde é possível reclamar, se queixar inclusive do exercício de seus direitos.
Se por desgraça impera o machismo e o autoritarismo, 
mesmo quando "protegidas", as mulheres serão vistas como seres menores, 
a quem se pode calar e a quem afinal, não se precisa escutar seriamente. 
E várias se objetificam talvez até voluntariamente 
em busca do arquétipo do "protetor".
Na Vida, aqui no Brasil de 2018, analisemos detalhadamente 
as propostas que temos em frente antes de votar. 
Reflitamos profundamente onde somos respeitadas 
como cidadãs livres, conscientes, com direitos e salários equivalentes 
e consideradas na diversidade de desejos, estéticas, sonhos, realidades 
e possibilidades para si e para cada família.
Porque é no dia a dia 
que os sonhos 
são construídos em realidade. 
Ou os pesadelos.

quarta-feira, 7 de março de 2018

Solo Premiado é convidado a integrar a Mostra Mulheres em Cena


E segue a carreira do premiado solo de Duaia Assumpção, convidado a fazer parte da Mostra Mulheres em Cena, no Teatro Maria Clara Machado, do Planetário da Gávea, Rio de Janeiro.
As apresentações serão 4ª e 5ªfeiras, 14 e 15 de março de 2018, às 21h.
Duração de 50 min, para maiores de 12 anos.
Há estacionamento gratuito no local, o ingresso é R$ 40,00, com meia entrada a R$ 20,00
Para saber mais, visite também os outros canais da peça:
https://4pecadecamara.blogspot.com.br
fb 4 - Peça de Câmara para 1 Atriz e 4 Personagens.
instagram @4pecadecamara




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

4 - Peça de Câmara abrindo o ano com sucesso

Um gostinho do que foi a temporada que terminou neste primeiro dia de fevereiro no Rio de Janeiro!
Prontos para seguir viagem com a alma plena e o coração pleno agradecido!

















sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Maravilhosa acolhida em Blumenau


E em 2016, Após o Festival de Curitiba,
4 - Peça de Câmara para 1 Atriz e 4 Personagens  
foi apresentada na S116 da FURB, Blumenau, Santa Catarina, contando com o apoio, as bençãos e a chama teatral de Pita Belli e dos dedicados integrantes do Curso de Teatro que fizeram a produção local da peça como parte das atividades de extensão. 


sexta-feira, 22 de abril de 2016

Com a palavra, o público curitibano e o que lá estava, assistindo 4-Peça de Câmara...


Voltar de viagem, com a viagem no coração. Desarrumar as malas, organizar os sentimentos e os frutos da aventura. Aí vão alguns da etapa Festival de Curitiba 2016






quinta-feira, 17 de março de 2016

Na página do Festival de Curitiba

Eis a página do 4 na programação. Super linda.
Só uma correção, Joaquim Assis é Supervisor de Dramaturgia e compositor das vinhetas da trilha sonora.
Mas é muito bom ver o cuidado do Festival, a equipe parece bem maior do que realmente é. Sinal de que trabalham muito. Oba.
4 - Peça de Câmara para 1 Atriz e 4 Personagens no  FESTIVAL DE CURITIBA 2016 Mostra Fringe!